Dicionário - Verbetes

DADOS ESTATÍSTICOS

Autor: EDMILSON PEREIRA JÚNIOR

Constituem a apresentação das observações de uma determinada variável, seja de caráter qualitativo ou quantitativo, de forma a descrever todo o conjunto de unidades observadas de forma resumida ou sintética. Os dados estatísticos formam a base de todo estudo e análise estatística sobre o contexto abordado.

De acordo com as definições formais, tem-se que dados são observações coletadas (por exemplo, medidas, sexo, respostas de sondagens) e que Estatística é um conjunto de métodos para o planejamento de estudos e experimentos, obtenção de dados e consequente organização, resumo, apresentação, análise, interpretação e elaboração de conclusões baseadas nos dados (TRIOLA, 2008). Nesse sentido, dados estatísticos são observações coletadas, apresentadas de forma sintética e organizada. Quando os dados coletados não foram organizados de forma sistemática, são considerados dados brutos.

Eles podem ser classificados de acordo com a origem, dividindo-se em: dados secundários, que são aqueles coletados para uma finalidade diferente do problema em pauta; e dados primários, que constituem dados coletados ou produzidos pelo pesquisador, especificamente para resolver o problema da pesquisa (MALHOTRA, 2006). Em relação aos dados primários, podem ser citados os surveys, em que os indivíduos são diretamente entrevistados e suas opiniões são registradas. Já os dados secundários podem ser exemplificados através de informações disponibilizadas por fontes empresariais e governamentais, empresas de pesquisa e bases de dados computadorizadas.

Os dados estatísticos podem se referir a uma população, referente às situações em que todas as unidades de um espaço amostral são analisadas, ou a uma amostra, em que apenas uma parte ou subgrupo é considerado na análise. No caso de se referir a uma população, o dado estatístico é considerado parâmetro e, se referir a uma amostra, é denominado estatística.

Podem, também, ser classificados de acordo com o tipo de variável, divididos em: a) Nominais e ordinais, quando são relacionados a variáveis qualitativas ou não-métricas. Os dados nominais são aqueles que podem ser classificados em rótulos ou categorias, que se distinguem por alguma característica não-numérica, como o sexo do indivíduo, a rede de ensino em que leciona ou o estado em que nasceu. Os dados ordinais são aqueles que podem ser dispostos em alguma ordem ou hierarquia, como, por exemplo, o nível de instrução do indivíduo; b) Discretos e contínuos, quando se referem a variáveis quantitativas ou métricas. Os dados discretos são aqueles em que é possível um conjunto finito de valores, como, por exemplo, o número de alunos em uma sala de aula e a quantidade de escolas em um município. Já os dados contínuos são aqueles que resultam de um conjunto infinito de respostas, não existindo lacunas ou interrupções, a exemplo do que ocorre com a quantidade de tempo utilizada pelo aluno para realizar o dever de casa.

Existem formas adequadas para apresentação de cada tipo de dado, sendo que os dados nominais e ordinais – referentes a variáveis qualitativas – são descritos geralmente através de frequências; e os dados discretos e contínuos – referentes a variáveis quantitativas – são exibidos através de medidas descritivas. A visualização desses dados estatísticos pode ocorrer através de gráficos ou de tabelas.

Existem diversas fontes governamentais de dados estatísticos, sendo as mais conhecidas o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (www.ibge.gov.br), que traz uma série de informações referentes à população, economia e uma variedade de indicadores sociais; o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – INEP (www.inep.gov.br), que apresenta uma vasta quantidade de informações referentes à área educacional, trazendo resultados de censos escolares, avaliações institucionais; sinopses estatísticas e microdados; e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA (www.ipea.gov.br), que possui muitos indicadores e dados referentes à área econômica e financeira.

BIBLIOGRAFIA:

DOANE, D.; SEWARD, L. Estatística aplicada à administração e à economia. São Paulo: McGraw-Hill, 2008.

MALHOTRA, Naresh K. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

TRIOLA, M. Introdução à estatística. 10. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | L
M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V

Dica de pesquisa: no use acentos!



Verbetes Relacionados

----- A -----

----- B -----

----- C -----

----- D -----

----- E -----

----- F -----

----- I -----

----- A -----

----- A -----

----- J -----

----- M -----

----- P -----

----- R -----

----- S -----

----- T -----



gestradoufmg@gmail.com
TEL.: +55   31   3409.6372
 


AV. ANTÔNIO CARLOS, 6627
BELO HORIZONTE - MG - BRASIL
CEP: 31270-901
HOME
QUEM SOMOS
APRESENTAÇÃO
PESQUISADORES
PARCEIROS
CONTATO
PESQUISAS
PUBLICAÇÕES
ARTIGOS
LIVROS
TESES E DISSERTAÇÕES
OUTRAS PUBLICAÇÕES
NOTÍCIAS
EVENTOS
DICIONÁRIO
APRESENTAÇÃO
VERBETES
SOBRE OS AUTORES
AGRADECIMENTO
DEDICATÓRIA