Trabalho docente em tempos de pandemia

A partir da experiência desenvolvida na pesquisa “Trabalho Docente no Brasil em Tempos de Pandemia”, que investigou as condições dos professores das redes públicas e privadas durante a crise do Covid-19, o Gestrado coordenou uma nova fase da pesquisa a fim de ampliar o conhecimento sobre a situação dos docentes de outros países da região.

Em parceria com a Rede Latino-Americana de Estudos sobre Trabalho Docente (Red Estrado) e com a Internacional da Educação para América Latina (IEAL), a pesquisa abarcou doze países: Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai, Honduras, El Salvador, Panamá e República Dominicana.

Trabajo docente en tiempos de pandemia (Red Estrado/IEAL, 2020-2021)

A partir da experiência desenvolvida na pesquisa “Trabalho Docente no Brasil em Tempos de Pandemia”, que investigou as condições dos professores das redes públicas e privadas durante a crise do Covid-19, o Gestrado coordenou uma nova fase da pesquisa a fim de ampliar o conhecimento sobre a situação dos docentes de outros países da região.

Em parceria com a Rede Latino-Americana de Estudos sobre Trabalho Docente (Red Estrado) e com a Internacional da Educação para América Latina (IEAL), a pesquisa abarcou doze países: Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai, Honduras, El Salvador, Panamá e República Dominicana.

Teachers’ work during pandemic times (Red Estrado/IEAL, 2020-2021)

A partir da experiência desenvolvida na pesquisa “Trabalho Docente no Brasil em Tempos de Pandemia”, que investigou as condições dos professores das redes públicas e privadas durante a crise do Covid-19, o Gestrado coordenou uma nova fase da pesquisa a fim de ampliar o conhecimento sobre a situação dos docentes de outros países da região.

Em parceria com a Rede Latino-Americana de Estudos sobre Trabalho Docente (Red Estrado) e com a Internacional da Educação para América Latina (IEAL), a pesquisa abarcou doze países: Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Paraguai, Peru, Uruguai, Honduras, El Salvador, Panamá e República Dominicana.

Trabalho docente em tempos de pandemia (CNTE/CONTEE, 2020)

A pandemia de Coronavírus (Covid-19) tem impactado fortemente os sistemas educacionais em todo o mundo. Além das complexas questões pedagógicas relativas ao ensino remoto, a discussão envolve o tema da infraestrutura, das condições sociais e de saúde de toda a comunidade escolar e as questões relativas à formação e condições de trabalho dos profissionais de educação que se encontram na linha de frente desse processo de reorganização escolar. Neste contexto, a investigação buscou conhecer os efeitos da pandemia do Covid-19 especificamente sobre o trabalho dos docentes da educação básica. O Gestrado foi responsável pelo desenho metodológico da pesquisa, construção do instrumento de coleta de dados, além da sistematização e análise das respostas. O projeto contou com a parceria da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE), que tiveram papel fundamental respectivamente junto às redes públicas e privadas de ensino nas etapas de mobilização dos respondentes e de divulgação dos resultados.

Políticas públicas para a melhoria do Ensino Médio: socialização científica, tradução e transferência de resultados (CNPq, 2017-2021)

A pesquisa coordenada pelo Gestrado tem como objeto o estudo sobre os efeitos das políticas educativas na reestruturação da profissão docente frente aos processos de globalização que determinam a agenda internacional da educação. Faz uma análise das transformações recentes no Ensino Médio no Brasil, a partir de um estudo comparativo que permite identificar as influências internacionais sobre as políticas de ampliação da sua oferta, de orientação das suas finalidades e dos resultados nas principais avaliações, com o intuito de subsidiar medidas que visem a sua melhoria. Pretende-se, possibilitar, por meio da cooperação internacional, a construção de uma síntese científica e a tradução e transferência de resultados de pesquisas entre Brasil, França e Portugal. O projeto tem como estratégia metodológica facilitar o intercâmbio e cooperação em nível nacional e internacional para disseminar o conhecimento científico e para transferi-lo para os profissionais (diretores, formadores, professores) por meio de um triplo processo: produção, mediação e tradução. Esta proposta pretende mapear resultados de pesquisa em âmbito internacional em áreas relevantes para a formulação de políticas para o Ensino Médio: abandono escolar, habilidades básicas, desenvolvimento profissional, avaliação, o uso de tecnologias digitais. Além da UFMG (Faculdade de Educação, Departamento de Ciência da Computação, Escola de Ciência da Informação e Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas), integram a pesquisa a Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), a Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a Universidade de Lisboa, a Universidade de Strasbourg e a Universidade de Barcelona.

Site da pesquisa: www.docencia.net.br.

A educação básica pública nos estados do Nordeste – Brasil: condições de oferta e perspectivas para expansão com qualidade (Fundaj, 2018-2020)

A pesquisa objetiva Identificar e analisar as transformações recentes na organização do Educação Básica, considerando as especificidades das três etapas, em decorrência da obrigatoriedade e ampliação de sua oferta, da orientação de suas finalidades e dos resultados das principais avaliações, com o intuito de subsidiar políticas públicas que visem a sua melhoria. O projeto está vinculado à pesquisa “Políticas públicas para a melhoria do Ensino Médio: socialização científica, tradução e transferência de resultados” e envolve parceiros nacionais e internacionais.

Trabalho docente na Educação Básica no Brasil – Fase II (SEB/MEC/INEP, 2012-2015)

Pesquisa quali-quanti sobre trabalho docente na educação básica no Brasil, realizada em cinco estados brasileiros – MG, PA, PR, GO e RN, que pretende investigar opinião dos docentes, por meio de grupos focais e outras estratégias de investigação, sobre mudanças na organização do trabalho, decorrentes de mudanças introduzidas nas políticas educacionais nos últimos vinte anos. Constitui-se na prespectiva de aprofundamento das informações produzidas na fase 1 da pesquisa de mesmo nome.

Trabalho Docente na Educação Básica no Brasil (SEB/MEC, 2009-2012)

A pesquisa pretende analisar o trabalho docente nas suas dimensões constitutivas, identificando seus atores, o que fazem e em que condições se realiza nas escolas de Educação Básica, com a finalidade de subsidiar a elaboração de políticas públicas no Brasil. Objetiva conhecer quem é, o que faz e em que condições se realiza o trabalho docente nas escolas públicas estaduais e municipais de Educação Básica no Brasil e instituições de educação infantil conveniadas com o poder público. Analisar em que medida as mudanças trazidas por nova regulação educativa impactam na constituição das identidades e dos perfis dos profissionais da educação básica, identificando estratégias desenvolvidas pelos docentes para responder tais exigências. Buscará ainda conhecer e analisar as mudanças promovidas pelas recentes políticas públicas para a educação básica no que se refere à organização e gestão escolar e suas conseqüências para a formação e carreira docente, observando ainda suas conseqüências sobre a saúde dos docentes. Para tanto, espera-se traçar o perfil sócio-econômico e cultural dos docentes em exercício na Educação Básica no Brasil; mapear a divisão técnica do trabalho na escola, a emergência de postos, cargos e funções derivados de novas exigências e atribuições, bem como as atividades desenvolvidas pelos docentes; conhecer as condições de trabalho dos docentes: os meios físicos, os recursos pedagógicos e o acesso a formação continuada, à literatura específica, às tecnologias e a outros bens culturais para o desenvolvimento de seu trabalho; levantar as formas de contratação, as condições salariais e de carreira em diferentes redes de ensino; identificar necessidades de formação continuada dos professores da Educação Básica. A pesquisa será realizada em sete estados brasileiros (Pará, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Goiás, Paraná, Santa Catarina e Espírito Santo) contemplando critérios de abrangência regional.

Trabalho na Educação Básica no Estado de Pernambuco (Sintepe/MEC, 2012-2013)

A pesquisa tem o propósito de conhecer e analisar o trabalho realizado nas redes públicas de ensino no estado pernambucano. Pretende-se conhecer quem são os profissionais da educação das escolas, o que fazem e em quais condições realizam o seu trabalho. A investigação consiste na realização de um survey em 17 municípios do Estado de Pernambuco, em unidades escolares de Educação Básica, das redes Municipais, Conveniadas e Estadual de ensino, nas quais são entrevistados os docentes e os funcionários de escola das unidades educacionais amostradas por meio de sorteio aleatório.

O piso salarial profissional nacional em Minas Gerais: implicações sobre a carreira, a remuneração e representação sindical docente (Fapemig, 2015-2017)

O presente estudo, desenvolvido com o apoio da FAPEMIG (Edital Nº 01/2014 – Demanda Universal, Processo: APQ-00776-14) tem como objetivo identificar e analisar as implicações do Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), instituído pela Lei nº. 11.738/2008, sobre os planos de carreira, a remuneração na Rede Estadual de Ensino de Minas Gerais (REEMG) e na Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte (RMEBH). Visa ainda identificar a atuação das organizações sindicais docentes que representam os professores dessas redes de ensino. Para tanto prevê a utilização dos relatórios dos grupos focais concretizados na investigação TDEBB, com recorte sobre a REEMG e a RMEBH e sobre o bloco de questões sobre a valorização do magistério. A pesquisa prevê, também, a busca de dados disponíveis nas páginas do governo federal, estadual e municipal, e de sindicatos mineiros sobre o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN), salário e carreira; pressupostos normativos que regulam a carreira e remuneração dos professores das redes públicas de ensino, entre outros. Prevê, ainda, a realização de pesquisa bibliográfica e de entrevistas com diferentes sujeitos (representantes do poder público estadual e municipal, dirigentes sindicais e docentes) das redes públicas focalizadas. As análises desses dados ajudarão a responder questões, tais como: mudanças ocorridas nos planos de carreira e remuneração dos docentes da REEMG e da RMEBH em decorrência do PSPN; medidas adotadas para o cumprimento do PSPN pelo governo do Estado e da Capital mineira; ; implicações do PSPN na estrutura, na representação e nas reivindicações do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (SindUTE/MG) e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal Belo Horizonte (Sind-Rede/BH); relação do Sind-UTE/MG e do Sind-Rede/BH com seus representados e com o poder público; as inflexões do PSPN sobre a valorização do magistério e qualidade da educação em Minas Gerais, entre outras.  A expectativa é de que o presente estudo possa subsidiar a avaliação desta política pública.